quinta-feira, 22 de março de 2012

Mons. José Edson Magalhães-Uma vida, Uma ação

José Edson Magalhães, nascido na cidade de Acaraú, aos 12 de outubro de 1931, filho de Joaquim Rodrigues de Oliveira Magalhães e de Eulina Alice Magalhães.
Sacerdote da Igreja Católica Apostólica Romana desde 19 de janeiro de 1958. Logo que foi odernado sacerdote, assumiu a recém-criada Paróquia de São Francisco de Assis da Cruz, do então município de Acaraú, aos 6 de abril de 1958. Foi o seu primeiro trabalho como pároco. Aí ficou por sete anos e cinco meses.
Na Paróquia de cruz:
-Fundou a associação da Pia União das Filhas de Maria, Obra das Vocações Sacerdotais, Apostolado da Oração;
-Construiu o salão paroquial com finalidade pastoral (reuniões diversas das equipes de pastoral) e educacional (onde funcionou a 1ª escola organizada pela paróquia – Instituto São Francisco – sob a direção de Pe. Edson e Fátima Brandão – professora acarauense convidado por ele para ajudá-lo neste trabalho);
-Mandou planear em volta da Igreja Matriz, pois lá era um antigo açude, que quando chovia estava prejudicando a calçada da Igreja;
-Mandou Planear algumas ruas e praças;
-Deixou a Casa Paroquial erguida;
-Adquiriu um transporte paroquial;
-Adquiriu alfaias, paramentos e material diversas para o culto;
-Colocou serviço de som (amplificadora);
-Fundou equipes de influência, de aniversário, de enfermos, de casais, de liturgia, de boa imprensa, de cáritas, de catequese bem organizadas;
Construiu uma história nova nos aspectos humano, cristão e social nessa paróquia, criada com o seu decisivo empenho e colaboração.
Foi transferido por Dom Walfrido Teixeira Vieira para a Paróquia de N. Sra. da Conceição de Acaraú, sua terra natal, assumindo-a aos 5 de setembro de 1965, após o falecimento de Mons. Sabino de Lima Feijão.
Como seminarista, nos Seminários Menor, em Sobral, e Maior, em Fortaleza, assumiu tarefas diversificadas, inerentes à sua situação de seminarista.
Tem assumido funções diversas na Diocese de Sobral.
-Foi coordenador da Pastoral Diocesana de 1981 a 1985.
-Membro dos Conselhos Pastoral e Presbiteral da Diocese. Vigário Episcopal da Região do Vale do Acaraú desde 1992.
-Coordenador da Região Episcopal Vale do Acaraú, cargo que lhe foi confiado por Dom Walfrido de julho de 1965 a setembro de 1985; função reassumida a partir de 11 de setembro de 1989 até fevereiro de 1997, voltando a exercê-la outra vez desde 1998.
-Foi membro da Comissão Nacional do Clero e da Comissão Regional do Clero; desta foi presidente por dois anos.
Formado em Filosofia pela Universidade Federal do Piauí e em Letras pela Universidade Estadual Vale do Acaraú. Participou de vários cursos de extensão nas áreas de Língua Portuguesa, Antropologia e Psicologia.
Como sacerdote tem assumido um apostolado profícuo. Sua meta de trabalho é, e tem sido, o anúncio do Evangelho de Jesus Cristo, como fonte de vida nova, a formação de comunidades e grupos pastorais.
Possui uma vastíssima biblioteca particular. Livros de assuntos diversos, desde coleções de História, Língua Portuguesa, Literatura Clássica e Moderna, Psicologia; e muitos outros de temas variados, inclusive na área da Eclesiologia, da formação humana... Homem estudioso, atualizado, sempre acompanhando as principais linhas de pensamento da Igreja e da sociedade em geral.
Cuidados com a Igreja Matriz
Há 41 anos cuida com muito esmero desta Igreja; 
Recuperou-a, totalmente, para o Sesquicentenário da Paróquia, num período de 1 ano e 5 meses; 
A pintura externa mudou da cor branca para a cor areia, usando tinta lavável;
Começou um novo trabalho de recuperação em 23 de julho de 2005, concluído em final de novembro de 2006 – 1 ano e 4 meses de trabalho;
Esta revisão começou pelo teto, estendeu-se pela pintura geral externa e interna;
Recuperação e acréscimos na instalação elétrica interna;
Instalação elétrica externa, totalmente refeita.
Mons. Edson Magalhães-Biografia por Vicente Freitas

Em uma tarde bonita do dia 12 de Outubro de 1931, nascia José Edson Magalhães em Acaraú. Seus pais, Joaquim Rodrigues de Oliveira Magalhães (Seu Quincas) e D. Eulina Alice Magalhães.
Quatro irmãos: Dois homens, Francisco Elbo e Carlos Alberto; Duas mulheres: Eglantine, a mais velha da prole e Marlene. O filho caçula é Carlos Alberto.
Seu pai era um conceituado agropecuarista. Vivia dos trabalhos de Agricultura, gado e carnaubais em terra da Tapera. Um homem sério em tudo.
Sua mãe tinha as prendas do lar. Prendas, de fato, sabia organizar sua casa com muito zelo; bordava e cozinhava como maestria. Foi professora quando jovem e vereadora já depois dos 60 anos.
José Edson fazia estudos preliminares com sua mãe, mulher de estudos feitos em Sobral, em um colégio de qualidade. Depois, matriculou-se na escola de D. Maria Cássia, uma escola particular, de ensino de boa qualidade. José Edson Magalhães também estudou na escola do Pe. José Inácio que preparava meninos para o seminário.
Daí partiu para o seminário São José, em Sobral; depois para o Seminário em Fortaleza, já no ano de 1952.
Foi ordenado sacerdote do Senhor Jesus em 19 de Janeiro de 1958.
Depois, fez curso de revalidação de filosofia, na Faculdade Federal do Piauí.
Fez curso de letras na Faculdade de Filosofia D. José em Sobral. Foi aluno brilhante desde os tempos da escola de Maria de Cássia até os cursos de Faculdade.
Brinquedos preferidos: jogar futebol com colegas de seminário; o tempo, quando criança, era mais usado para os serviços ajudando a seu pai. Mas gostava de brincar nas camboas, pegar passarinho com meninos da sua idade. Saiu de casa com apenas 12 anos.
O gosto pelo futebol continua.
Entre suas manias... Ler; lê muito jornais e livros.
Comida preferida; Gosta de galinha caipira, bolo e pudim. “Hoje não se come o que se prefere, mas, come-se o que a idade e a saúde permitem”, dizia.
Gosta de ler, de escrever, é perfeccionista; ajuda as pessoas das mais diversas formas; produzir seus pensamentos; não gosta da falsidade, de injustiça, de brincadeiras na hora do sério.
Seus sonhos; Ver uma sociedade mais igual, os desfavorecidos tendo vez, publicar o livro sobre a festa religiosa, o livro de pensamentos, ver Fátima formada e realizada na vida.
Monsenhor Edson Magalhães; Recebeu o Presbiterato, a 19 de janeiro de 1958, na Igreja Matriz de Acaraú, das mãos de Dom José Bezerra Coutinho, Bispo Auxiliar de Sobral. Celebrou sua primeira Missa Solene, na Capela de São Sebastião, no dia seguinte. Essa Capela fora construída pelo major Raimundo Coelho de Albuquerque, seu bisavô.
Foi o primeiro Pároco da Paróquia de São Francisco, de Cruz, de 1958 a 1965. Neste ano, com a morte do Mons. Sabino, tomou posse da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, de Acaraú. Nesta Paróquia deu prioridade à criação de grupos pastorais e comunidades eclesiais de base. Construiu centros comunitários nos bairros e Centro de Educação de Líderes (Centro de Treinamento). Coordenou a construção de capelas. Vigário Episcopal da região do Vale do Acaraú, por três vezes. Coordenador da Pastoral da Diocese de Sobral; Vice-Presidente da Comissão do Clero Regional Nordeste I; membro dos Conselhos Presbiteral, Pastoral e Consultores Diocesanos. Foi Secretário Geral do 1º Encontro Nacional do Clero, em São Paulo.
Em 2008, já Monsenhor, José Edson Magalhães comemorou cercado de colegas Padres e da comunidade católica de todo o Ceará, 50 anos de ordenação. Monsenhor Edson, como fazia todas as manhãs, caminhava durante cerca de uma hora, fosse na praça da Matriz de Nossa Senhora da Conceição ou nos jardins de sua residência.
Hoje, sem que ninguém visse, foi acometido de um fulminante enfarto que o levou ao solo. Seu corpo caído, praticamente sem vida, foi encontrado minutos depois por uma de suas auxiliares que pediu socorro e o levou para o Hospital Moura Ferreira, onde já chegou sem vida.
JOSÉ EDSON MAGALHÃES
* 12 de Outubro de 1931
+ 29 de Março de 2010
Biografia por : Vicente Freitas
Mons. Edson Magalhães-Momentos



Concelebração 150 Anos da Paróquia

Dom Fernando e Padres do Vale do Acaraú







Fonte: Blog Paróquia de Acaraú-Totó Rios

Nenhum comentário:

Postar um comentário